3 de nov de 2014

Pratique esportes e corra... corra dos brindes

Quando entrei no Instituto Precisa já conhecia o Vitor Ferreira, engenheiro químico que faz parte de nossa equipe, alimentando nossos projetos com informações dos desafios da reciclagem no mundo industrial. Vitor trabalhou nos projetos de elaboração de relatórios de gases de efeito estufa, balanced scorecard, software de gestão de resíduos e participou de vários cursos para atualizar o Instituto Precisa, dentre eles o do relatório GRI - relatório de sustentabilidade que divulga o desempenho econômico, ambiental, social e de governança de uma instituição.


Voluntário do Instituto Precisa, Vitor pratica na vida o que falamos aqui. Ciclista, alpinista, mergulhador, corredor que corre de brindes.  Nos eventos que frequentamos juntos fazia questão de não aceitar os brindes distribuídos. Nada de canetas, pastas, bolsas e aquele monte de folhetos de propaganda e revistas. Eu ainda não resisto a uma caneta e pasta, um bloquinho então, pego rápido e já começo a anotar os destaques das palestras que assistimos. Mas Vitor falava do paradoxo de fazer um evento de meio ambiente ou valorização da biodiversidade com um marketing contraditório que gera um monte de lixo com distribuição de brindes, muitas vezes inúteis. Se em cada corrida que participa, levar a garrafinha de água (squeeze) que distribuem como brinde, vai montar uma cooperativa de reciclagem. A política de resíduos é clara, a melhor maneira de tratar resíduos é evitar sua geração indiscriminada.


Sinto saudades do Vitor, com quem hoje só me comunico por email e que me confirmou uma verdadeira teoria: quando eu era jovem gostava de conviver com pessoas com o dobro da minha idade para aprender coisas novas. Hoje, gosto de conviver com os que têm a metade, pelo mesmo motivo.

Adelia Di Buriasco.



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário